Número total de visualizações de página

29 dezembro, 2015

FALECEU EM 5/1/16 O CORONEL MANUEL JORGE CARAMELO

 FALECEU EM 5/1/16 O CORONEL MANUEL JORGE CARAMELO

Os meus sentidos Pêsames há Família Enlutada e que descanse em PAZ. Mais um da comunidade do Batalhão de Caçadores 1919 que nos vai deixar, PAZ HÁ SUA ALMA.

 


TODOS OS ANOS O BAT.CAÇ.1919HOMENAGEIA OS  SEUS  MORTOS  E  COMPARECEM  OS  VIVOS
Poderia ter feito muito mais cedo, mas não teria encontrado condições para se transformar num gesto verdadeiramente nacional, porque se teria deparado, inexoravelmente com um contraditório de sentimentos sobre a Guerra em Africa que só o tempo permite colocar no seu devido contexto. Estaríamos então a debater se esta era uma homenagem ás causas da guerra, dividindo-nos nisso, e não, como é nossa obrigação a prestar uma homenagem aos portugueses que serviram o seu País.
Só é possível estimular os portugueses a saber servir Portugal, se todos soubermos, devidamente homenagear aqueles que o serviram e por ele morreram. Apelo, por isso, aos portugueses para que saibam sempre servir e amar o seu país e aos poderes públicos para que saibam sempre elevar-se acima das polémicas e homenagear devidamente aqueles que o serviram.
Longe dos juízos da história, ao percorrer o silêncio irreversível daqueles nomes e o drama, irreparável, de quem perdeu a vida, evoco o sentimento e a angústia de quem perdeu os seus Familiares.
Não há palavras de conforto que minore esse sofrimento.
Que estes Colegas que sito abaixo, uns em plena Guerra em Angola e outros em Portugal com as resquícios da mesma, fiquem, por isso, como testemunho perene desse sacrifício feito sob a Bandeira Nacional.

FALECIDOS EM ANGOLA

01-ABÍLIO DA SILVA MARTINS
02-ARTUR FERNANDES MATIAS
03-CARLOS MANUEL DIOGO CORREIA VICENTE
04-JOAQUIM SILVA MOREIRA
05-MANUEL ANTÓNIO FERNANDES
06-MÁRIO RAMOS DA SILVA

FALECIDOS EM PORTUGAL

COMPANHIA COMANDO E SERVIÇOS

01-ALBERTO RODRIGUES PEREIRA BARROS
02-ALDORINDO ALEXIS FILINTO ILÍDIO FERREIRA PINTO DA CUNHA
03-AMADO EMIDIO MOURA DA SILVA
04-ANTÓNIO EMILIO DE FIGUEIREDO CARDOSO
05-ANTÓNIO JOSÉ MATIAS
06-ANTONIO VALDEMAR PINHEIRO DE MATOS
07-ARMANDO OSVALDO MATOS RIBEIRO DA SILVA
08-ARMÉNIO JESUINO FIALHO
09-ARTUR DO ROSÁRIO MORA CRAVEIRO LOPES
10-CARLOS MANUEL DE OLIVEIRA LOPES
11-CARLOS MANUEL SANTOS COSTA
12-JOSÉ ANTÓNIO CAEIRO MARTINHO
13-JOSÉ ANTÓNIO LEAL LOPES DE OLIVEIRA
14-JOSÉ ALVES VICENTE                                                                           
15-JOSÉ CARREIRAS
16-JOSÉ TAGARRA RODRIGUES
17-LUIS MIGUEL FILIPE
18-MANUEL ALVES BARBOSA
19-RAUL ANTÓNIO MARQUES
20-TEOFILO EURICO PIRES
21-ULISSES RODRIGUES GONÇALVES
22-VALDEMAR FREITAS PEREIRA
23-VIRGÍLIO MIRÃO SILVÉRIO
24-VITOR MANUEL LEAL GIL

COMPANHIA DE CAÇADORES 1716

01-ADÃO FERREIRA CONCEIÇÃO
02-ANTERO MANUEL FLOR
03-ANTÓNIO AUGUSTO ROQUE DA SILVA
04-ANTÓNIO DA SILVA FERREIRA
05-ANTÓNIO MENDES VIEIRA
06-ANTÓNIO VAZ
07-ARMANDO WALTER DA COSTA NUNES
08-ARMINDO FERNANDES DA SILVA
09-ARNALDO RODRIGUES PIMENTA
10-AUGUSTO MOREIRA RIBEIRO
11-CUSTÓDIO LOPES FILIPE
12-DOMINGOS RAFAEL FIRME DIAS
13-DOMINGOS GOMES TAVARES
14-JERÓNIMO MOREIRA BATISTA
15-JOÃO ALBERTO CUNHA GOMES
16-JOÃO CARLOS VALENTIM RALHA
17-JOÃO RODRIGUES DA PAZ LUCAS
18-JOAQUIM DA COSTA MARQUES
19-JORGE ALVES MARQUES                    
20-JOSÉ MARTINS DE ALMEIDA
21-LUIS JOSÉ DOS SANTOS PANAÇAS
22-MANUEL ALVES DE SOUSA SABINO
23-MANUEL ANTÓNIO PEREIRA FÉLIX
24-MANUEL DOS ANJOS RODRIGUES
25-MANUEL FERREIRA DA SILVA
26-MANUEL FERREIRA DA ROCHA
27-MANUEL JOÃO GOMES ALVES
28-MANUEL TEIXEIRA ANTÓNIO
29-MANUEL JORGE CARAMELO

COMPANHIA DE CAÇADORES 1717

01-ABEL MOREIRA NUNES
02-ADÃO ALIPIO RODRIGUES
03-ANTÓNIO LUIS MARTINS PEREIRA
04-ANTÓNIO MONTEIRO BATISTA ARAÚJO
05-ARMANDO VICENTE COSTA
06-ARSÉNIO OLIVEIRA DE SOUSA
07-CARLOS TOMÁS DOS SANTOS CAVALEIRO
08-GUILHERME ALMEIDA LEMOS
09-MANUEL AZEVEDO DA SILVA
10-MANUEL FERNANDES AMORIM
11-MANUEL FERREIRA GRANJA
12-MANUEL JOÃO CATALÃO PADEIRA
13-MÁRIO FERREIRA ESTANISLAU
14-RAUL JOSÉ LOPES MONTEIRO E LOURO

COMPANHIA DE CAÇADORES 1718

01-ALBINO MATEUS BARROS TABORDA
02-ALEXANDRE DA COSTA MORAIS
03-ALFREDO MANUEL ALMEIDA LEITÃO
04-ANTÓNIO DA FONSECA
05-ARTUR ANTÓNIO DA COSTA CARTAXO
06-CÂNDIDO JOAQUIM FERREIRA
07-CARLOS ALBERTO DA COSTA FIGUEIREDO
08-DOMINGOS SOARES CARITAS
09-FERNANDO JOAQUIM DA SILVA FERREIRA
10-FERNANDO MONTEIRO
11-FERNANDO DE SÁ TOMÁS
12-FERNANDO VILA E SILVA
13-JOSÉ ASSUNÇÃO RODRIGUES
14-JOSÉ DE OLIVEIRA CORREIA
15-JOSÉ FERNANDO
16-JOSÉ GOMES AZOIA
17-JOSÉ JOÃO PANCADA PINHEIRO
18-JOSÉ  PEREIRA CERQUEIRA
19-LUÌS COVAS PIRES
20-LUÍS EUSÉBIO CARACOL MARTEL
21-MANUEL CAETANO
22-MANUEL JOAQUIM CORREIA MENDES DE MACEDO
23-MANUEL JOAQUIM LAGE SILVA
24-MANUEL LEAL SOARES
25-MANUEL RODRIGUES SOUSA                         
26-SAMUEL AUGUSTO PASSAS
27-SEBASTIÃO ANTÓNIO FERREIRA PINTO
28-SÍLVIO DA COSTA MOTA


******************* ACTUALIZADO EM DEZEMBRO DE 2015  **********************

14 outubro, 2015

QUEM SE LEMBRA DO TORNEIO DE VOLEIBOL ANDEBOL E FUTEBOL DE SALÃO NA COMEMORAÇÃO DO 2º ANIVERSARIO DO NOSSO BATALHÃO CAÇADORES 1919 NO PASSADO DIA 3,4 e 5 DE JULHO DE 1969



Quem conhece este ilustre companheiro na campanha de 1967/68 em ZALA do B.Caç 1919 e era de Setubal auxiliar de cozinheiro e o que é feito desta presonagem bem conhecida.

Quem conhece este ilustre companheiro na campanha de 1967/68 em ZALA do B.Caç 1919 e era de Setubal auxiliar de cozinheiro e o que é feito desta presonagem bem conhecida.



Vamos fazer um exercício há mente, haver se lembram de ter visto este Filme e Fados e Guitarradas em Malange que já vai há quase 47 anos e se esteve no Cine Teatro, conte algo sobreo assunto pois fiz este programa a pedido do Dest.Fotografia e Cinema e do nosso Batalhão e C.Art.1702 nessa época passada de 1968.


Envio estas quatro fotografias que identificam Enos dois actos de variedades que se realizaram no acto de rendição em ZALA do B,Caç.1892 pelo o n/B.Caç.1919 no passado dia 28/8/67, quem se lembra disto diga algo. O palco é adornado por varias coisas e uma delas é os cartazes que foram feitos por mim.





28 julho, 2015

CONVIVIO DE MIRANDA DO CORVO 2015

CONVÍVIO DE MIRANDA DO CORVO 2015



















09 junho, 2015

CONVÍVIO DE MIRANDA DO CORVO EM 6.6.2015

PASSOU-SE MAIS UMA CONFRATERNIZAÇÃO DO BAT.CAÇ.1919 EM MIRANDA DO CORVO DENTRO NORMALIDADE POSSÍVEL E ESPEREMOS QUE PARA ANO SEJA MESMO NO NORTE DO PAÍS, POIS ACHO QUE É NO NORTE QUE ESTÃO A MAIORIA DOS EX.MILITARES DO NOSSO BATALHÃO, E PORTANTO HÁ QUE TER EM ATENÇÃO.

09 maio, 2015

08 abril, 2015

Um testemunho de ex-militar que pertencia a Companhia de Engenharia 1756 que estava anexada ao sub-sector ZALA na região dos DEMBOS no periodo 67/68 que estava a fazer o melhoramento dos pisos da picada e pontes novas no sector desde Zala, Madureira e Bela Vista e que é do conhecimento de todos nós e que depois teve de abandonar os trabalhos em Maio 1968.



Um testemunho de ex-militar que pertencia a Companhia de Engenharia 1756 que estava anexada ao sub-sector ZALA na região dos DEMBOS no periodo 67/68 que estava a fazer o melhoramento dos pisos da picada e pontes novas no sector desde Zala, Madureira e Bela Vista e que é do conhecimento de todos nós e que depois teve de abandonar os trabalhos em Maio 1968.
“Os camaradas estavam debaixo de fogo” Cheguei a Angola em Agosto de 1967 sem saber se ia regressar. Passámos muitos sustos e sobressaltos, mas sobrevivemos para contar Quando já imaginava que estaria livre da mobilização, no dia 11 de Maio de 1967 recebi as guias de marcha para me apresentar no Regimento de Engenharia número 1 de Santa Margarida. Fui mobilizado para o Ultramar. Embarquei a 9 de Agosto de 1967 no paquete ‘Uige’ com destino a Angola, no que terá sido um dos dias mais dramáticos da minha vida. Ninguém sabia se era o último adeus aos nossos familiares, de quem nem nos deixaram despedir. A 21 de Agosto, após o desembarque, fomos encaminhados de comboio para o Campo do Grafanil, onde estaríamos cinco dias a preparar a viagem para a Bela Vista – onde ficámos oito meses. Como a nossa missão era construir estradas e pontes, sempre que saíamos para as picadas éramos escoltados por uma companhia de infantaria ou artilharia, para podermos trabalhar sem sobressaltos. Estávamos sempre a pensar no pior, porque a distância entre a Bela Vista e Zala, uma das zonas que mais ataques sofria, era de apenas cinquenta quilómetros. Lembro-me de uma vez, era cerca da meia-noite, em que ouvi um estrondo de basucadas antes de me deitar. Corri a chamar o comandante da escolta e verificámos que os camaradas que esperávamos estavam debaixo do fogo inimigo não sabíamos há quanto tempo. Infelizmente o radiotelegrafista tinha sido atingido e estava morto. Foi um dos momentos mais dramáticos. Após esses oito meses na Bela Vista regressámos a Luanda, onde iríamos ganhar força e coragem para participar e fazer o itinerário de uma das maiores operações feitas em Angola, a Operação Nova Luz, onde participaram militares de todos os ramos das forças armadas, efectuada entre as matas de café de Maria Fernanda e Maria Manuela e as margens do rio Dange, onde construímos uma grande ponte no rio, na zona de Piri. Ao terceiro dia da operação sofremos o primeiro e único ataque: a primeira rajada do inimigo foi directa ao militar da escolta que manobrava a metralhadora MG e teve morte imediata. MORTOS NO RIO Só ao quinto dia atingimos as margens do Dange, onde acampámos cinco meses. A poucas centenas de metros tinha sido conquistado um dos quartéis-generais do inimigo. Um pouco mais a norte, na margem direita do rio, formámos novo acampamento, por poucos, mas dolorosos, dias. Isto porque num fim-de-semana, quando alguns camaradas se abeiraram do rio para lavar a roupa, o rio aumentou de caudal de repente e, sem que nos apercebêssemos logo, arrastou um dos camaradas que não sabia nadar. Um outro camarada, que foi para o socorrer, também foi arrastado. Desapareceram os dois e nunca mais foram vistos. Foi desencadeada uma operação de resgate mas esta não teve sucesso: o rio estava invadido por jacarés que os devem ter comido. Finda esta missão tivemos mais uma passagem por Luanda, mas com destino a Zenza do Itombo, para construir mais uma ponte. No dia 6 de Outubro de 1969 embarcámos no paquete ‘Vera Cruz’. Chegámos a Lisboa no dia 15 de Outubro, quando passámos à disponibilidade. Perdi o melhor tempo da minha juventude mas aprendi muita coisa e fiz amigos para a vida. Reunimo-nos uma vez por ano para recordar aqueles bons e maus momentos que passámos juntos. Apanhámos muitos sustos, passámos por alguma fome e sede e muitos sobressaltos. Eu próprio estive dezoito dias no Hospital Militar de Luanda, ainda hoje não sei bem porquê nem o que tinha. Uma coisa é certa: jamais irei esquecer essa época da minha vida. PERFIL Nome: José Mendes Henriques Comissão: Angola (1967-69) Força: Companhia de Engenharia 1756.

  • Amigo Machinho quanto há questão 1756 só poderia ser antes, nunca depois porque eles foram embora em MAIO 68 e nos so saímos quase no fim do ano 68, como é do teu conhecimento. Quanto a Vila Pimpa vós saíste no fim de 67 para 68,e portanto so poderia ...Ver mais
  •  





  • Mais uma foto para veres de facto da maquinaria existente em zala e da sua presença em 67/68 da Comp.Eng.1756